FÓRUM RIO – Diálogos Críticos sobre a Crise

Carta Convite

Prezadxs dirigentes,

No dia 30 de junho de 2017 foi realizada uma reunião no Fórum de Ciência e Cultura da UFRJ, Avenida Rui Barbosa, 762 – Flamengo, com a presença de universidades públicas e instituições de pesquisa vinculadas ao MCTIC localizadas no Rio de Janeiro. Após discussão da grave conjuntura brasileira e, particularmente, suas consequências para as instituições universitárias, de ciência e tecnologia e da área cultural, foi consensuada a criação de um Fórum que articulasse as instituições com os setores democráticos da sociedade civil com os seguintes objetivos principais:

a) Estabelecer as bases de uma ação unitária e coordenada das IES e centros de pesquisa públicos, bem como do conjunto da comunidade acadêmico-científica;

b) Promover, através de iniciativas unitárias, a discussão, formulação e ação, de modo a contribuir para a superação da crise nacional, preservando os direitos sociais conquistados nas últimas décadas, nos marcos de um estado de direito democrático e republicano;

c) Discutir, elaborar e implementar formas unitárias de ação em defesa da preservação das condições (orçamentárias e institucionais) de manutenção e desenvolvimento das instituições de ensino e pesquisa;

d) Promover ciclo de debates e constituição de um amplo, diverso e unitário Fórum que integre também importantes instituições da sociedade civil democrática – numa espécie de combinação das experiências do “Ciência 6 e Meia” e os “Debates do Teatro Casa Grande”.

Ficou acertada nova reunião dos reitores, dirigentes das ICT e de representantes da sociedade civil democrática para o dia 1 de Agosto as 16 horas no Fórum de Ciência e Cultura, localizado na Av. Rui Barbosa, 762.

Pauta: Manifesto de Lançamento do Fórum, Definição de temas dos primeiros debates, Comissão Organizadora dos Eventos, Calendário 2017-2.

Não podemos nos dispersar! As ações unificadas em prol da ciência, tecnologia, educação e de um porvir democrático para o país contribuirão para a compreensão coletiva da crise e, por isso, para a sua superação! Aguardamos vocês!

Roberto Leher

Maiores detalhes através do arquivo

CHAMADA DE TRABALHOS: Diálogos Franco-Lusófonos

No ambito do Programa Franco-Brasileiro Attilio
* CHAMADA DE TRABALHOS *

NATUREZA E CIDADE: olhares cruzados franco-lusófonos
NATURE ET VILLE : regards croisés franco-lusophones

Site do encontro – https://natureetville.sciencesconf.org/

Clique aqui para abrir o documento

Colóquio sobre Planejamento e Urbanismo
Organizado pelo Departamento de Planejamento e Meio Ambiente da
Politécnica de Tours e l’UMR CNRS 7324 CITERES
5a Edição, 2018 – Tours, França
13-15 junho 2018

Clique aqui e saiba mais

Chamada para Submissão de Artigos e Resumos Expandidos Para a XIV Semana de Análise Regional e Urbana

A Comissão Organizadora da XIV Semana de Análise Regional e Urbana convida toda a comunidade acadêmica a submeter seus trabalhos acerca da temática central da edição deste ano: “Cultura, Criatividade e Desafios Contemporâneos”. O tema está subdividido em cinco eixos temáticos:

  1. Empregabilidade e Novas Configurações do Mundo do Trabalho;
  2. Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano;
  3. Infraestrutura e Desenvolvimento Regional;
  4. Cidades e Processos Urbanos;
  5. Políticas Públicas e Desenvolvimento Econômico.

O prazo para submissão é até 31 de julho de 2017.

Para participar acesse: www.strictosensu.inf.br ou www.saruunifacs.blogspot.com.br

Para saber mais clique aqui

I CILITUR – COLÓQUIO NACIONAL SOBRE CIDADES LITORÂNEAS E TURISMO

I CILITUR – COLÓQUIO NACIONAL SOBRE CIDADES LITORÂNEAS E TURISMO

O Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Urbano (MDU) sediado no Departamento de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) realizará o I CILITUR – COLÓQUIO NACIONAL SOBRE CIDADES LITORÂNEAS E TURISMO – na cidade de Recife entre os dias 30 e 31 de outubro de 2017.
A primeira edição do evento surgiu do encontro dos organizadores em torno da temática à luz dos campos disciplinares do Planejamento Urbano e Regional e da Arquitetura e Urbanismo e do Grupo de Pesquisa (CNPq) CILITUR – Cidades Litorâneas e Turismo das Universidades: UFPE, UFC e UFRRJ.
A relevância social do Colóquio consiste na oportunidade de discussão e de apresentação de ideias, pesquisas, análises críticas de intervenções e práticas que têm como ponto de interseção a intricada e dialética relação entre o turismo e a produção (e consumo) do espaço nas cidades litorâneas no Brasil em uma perspectiva multiescalar, que incluam processos socioespaciais regionais, metropolitanos e intra-urbanos relativos às manifestações da atividade turística nestes lugares.

Diante desse panorama diverso e complexo entre a atividade turística, as políticas públicas e seu reflexo na organização das cidades litorâneas, o I CILITUR convida pesquisadores e profissionais a contribuírem com o debate submetendo trabalhos completos para apresentação em sessões de comunicação ou pôsteres nos seguintes temas, que incluem, preferencialmente:
A) Urbanização turística
São bem vindos trabalhos que discutam os processos de urbanização turística em seus territórios em variadas escalas nas mais diferentes tipologias (segundas residências, hotelaria, resorts e empreendimentos turísticos imobiliários) e seus efeitos (morfológicos, sociais, econômicos e/ou ambientais) na produção e consumo do espaço.
B) Políticas de turismo e território
Essa tema acolhe trabalhos que buscam  avaliar o papel das políticas públicas de turismo, sejam de âmbito federal (incluindo o Prodetur), estadual ou municipal no sentido de dinamizar a atividade e sua relação com o território.
C) Turismo e conflitos socioespaciais
Trabalhos que busquem evidenciar as questões relacionadas à gentrificação e produção de ícones urbanos e arquitetônicos que promovam a visitação turística, os conflitos decorrentes dos impactos em bens ambientais e culturais e a exclusão da população autóctone decorrente do processo de gentrificação.
D) Turismo de base comunitária
Trabalhos interessados em evidenciar as iniciativas de turismo que vêm sendo desenvolvidas como alternativa ao modelo hegemônico, pautadas na participação popular, no combate à pobreza e em processos de autogestão empreendidos a partir do local, considerando as peculiaridades e as heterogeneidades do mesmo.
E) Interseção entre turismo e outras atividades
Trabalhos que enfatizam as relações entre paisagem, turismo e lazer, os conflitos com outras atividades econômicas e os usos litorâneos (pesca, porto, indústria, habitação, etc).

Submissão de trabalhos

Cilitur – I colóquio nacional sobre cidades litorâneas e turismo