UNIVERSIDADE DA CIDADANIA: UM PROJETO FREIREANO EM RISCO

Veja o comunicado da organização do evento:

“Nos dias 23/08, 06/09, 20/09, 04/10 terá lugar o Encontro Internacional “Educação Popular e Cidadania: Experiências e Desafios”, promovido pela UC Resiste e, entre outros: UFMG, UNICAMP, UFF, UNIRIO, UERJ, FIOCRUZ, ABRASCO, CUT, CONTAG, FASE, IBASE, Ação Educativa, PACS, Campanha Nacional Direito à Educação, Emancipa, Mais Nós, Articulação Nacional de Movimentos e Práticas de Educação Popular e Saúde, Consejo de Educación Popular de América Latina y Caribe, CLACSO, Universidad Nacional de Quilmes, Universidad Plurinacional de la Patria Grande, Red de Economías Territoriales Wallmapu, Tata Institute of Social Sciences (Mumbai), African Center for Citinzenship and Democracy (Cape Town), Universidade Popular dos Movimentos Sociais, Université Internationale Terre Citoyenne.

Este evento começou a ser organizado pela Universidade da Cidadania (UC-UFRJ), em março de 2019, antes que, no segundo semestre daquele mesmo ano, a Coordenadora da Fórum de Ciência e Cultura (FCC-UFRJ), Profa. Tatiana Roque, com o respaldo da Reitoria, promovesse a intervenção que desconheceu o processo de discussão coletiva e eleição do Conselho Deliberativo, do Diretor e Vice da UC, e impôs o interventor Prof. Paulo Fontes.

Apesar da intervenção, nós, organizados/as na UC Resiste, não abandonamos o projeto de Encontro Internacional. Não tendo sido possível realizá-lo em 2020, por causa da pandemia, ele acontecerá de forma virtual em 2021, ano em que se celebra o centenário de Paulo Freire.

Neste centenário, a UFRJ não deve, não pode enterrar o projeto inovador que nasceu em 2009 e foi consolidado em 2018, com a aprovação pelo Conselho Universitário (CONSUNI) da criação da Universidade da Cidadania. De nada servirá manter o nome e a fachada, se os princípios da educação popular e das concepções freireanas forem desprezadas, em nome de um controle político-institucional que instaura um regime centralista-autoritário, condena a troca de saberes horizontal e não hierárquica, destituindo os movimentos populares de qualquer papel na direção das atividades e nas decisões do órgão. O apagamento da inspiração freireana é de tal ordem que os estudantes dos programas e cursos da UC, isto é, os educandos não seriam reconhecidos como integrantes do corpo pela proposta dos interventores. Uma universidade da cidadania que não reconheceria a cidadania nem mesmo de seus estudantes, dá para acreditar?

Esta a ameaça que paira hoje sobre a Universidade da Cidadania, com a nova proposta de regimento, encaminhada após quase dois anos de brutal intervenção.
Não podemos aceitar que o CONSUNI da UFRJ aprove esta nova proposta. Não podemos aceitar que este Conselho enterre um projeto foi concebido e nasceu para criar um novo e revolucionário lugar para a educação popular, o diálogo de saberes e as pedagogias emancipatórias.

O CONSUNI da UFRJ terá a oportunidade de fazer sua escolha: a democracia, a legitimidade e a pedagogia do oprimido ou a ilegalidade, a ilegitimidade e a pedagogia do autoritarismo.
Esperemos que, no centenário de Paulo Freire, honre seus ensinamentos e sua memória.

Universidade da Cidadania Resiste

www.facebook.com/ucresiste

Página do Encontro internacional :
www.even3.com.br/confedpop2021/