XVIII Seminário de Diamantina: Prorrogação de data de submissão

A data de submissão de artigos para o XVIII Seminário de Diamantina foi prorrogada para 23h59 do dia 22/05/2019.

O seminário ocorrerá na cidade de Diamantina(MG), entre 19 e 23 de agosto de 2019. Originalmente criado para refletir sobre Minas Gerais, o evento, realizado pela primeira vez em 1982 se ampliou para o âmbito nacional e internacional o escopo de suas discussões. Este ano, após as tragédias ocorridas em Mariana e em Brumadinho, o tema da crise da mineração em Minas Gerais e no Brasil será objeto de profunda reflexão.

Assim, nesta 18ª edição, é em torno do tema da crise da mineração que o seminário também pretende motivar reflexão crítica sobre aspectos centrais da superposição de crises, que se abatem hoje a realidade mineira e brasileira. Destacam-se a profunda crise do estado de Minas Gerais e do país, assim como profunda crise internacional, a um tempo, econômica, política, ambiental, geopolítica, humanitária, que se reflete em aprofundamento das desigualdades sociais, em desemprego e precarização do trabalho, em crise ambiental, em crise humanitária sob a forma de migrações forçadas, de intensos fluxos de refugiados, de violência e intolerância, que ameaçam a democracia e a paz.

Maiores informações clique no link.

II CILITUR: Chamada de Trabalhos

O Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Urbano – MDU e o Departamento de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) sediarão o II CILITUR – COLÓQUIO NACIONAL SOBRE CIDADES LITORÂNEAS E TURISMO, com o tema “Turismo e desenvolvimento desigual no litoral brasileiro”, no Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA) – Campus Recife, entre os dias 11 e 13 de novembro de 2019.

TEMÁTICA

A inserção da atividade turística como paradigma de desenvolvimento econômico prevalece desde o século XX como uma prerrogativa dos Estados, que têm implementado políticas públicas, ações e intervenções no território a fim de promover o turismo, em conjunto com as empresas e a complexa cadeia produtiva do mercado turístico. No caso brasileiro, notadamente ao longo de toda a sua extensa faixa litorânea, verifica-se que as transformações suscitadas para permitir os fluxos turísticos de pessoas e capitais em um território marcado por processos pretéritos de urbanização desigual e dependente, acabam por exacerbar a fragmentação, a apropriação seletiva do ambiente natural e construído e, consequentemente, a segregação socioespacial.

Ademais, em um contexto global de supostas crises do capital, conflitos políticos-ideológicos, acirramento de desigualdades históricas e o surgimento de outras, incrementadas pelas inovações tecnológicas e digitais, bem como ações de resistência e participação de vários agentes, verifica-se um campo vasto de discussões sobre os processos, conflitos e contradições do desenvolvimento desigual na produção e consumo do espaço no litoral brasileiro na atualidade.

Maiores informações clique no link.

Professora Sandra Lencioni recebe Prêmio Eidorfe Moreira de geografia regional

A professora Sandra recebendo o prémio por sua contribuição aos estudos de geografia regional. (Da esq. p/ dir.) Os professores Eduardo de Melo Salgueiro e Eliseu Sposito, respectivamente, da Unifesspa e da Unesp, durante entrega do Prêmio Eidorfe Moreira de Geografia Regional – Foto: Divulgação Unifesspa

A docente titular sênior Sandra Lencioni, do Departamento de Geografia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, foi agraciada com o Prêmio Eidorfe Moreira de Geografia Regional, durante o I Simpósio Nacional de Geografia Regional (I Singer). O evento foi realizado de 24 a 26 de abril, no Instituto de Estudos do Trópico Úmido no campus da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), em Xinguara, no Estado do Pará. A organização foi feita por alguns integrantes do Grupo de Pesquisa Geografia Regional e Produção do Espaço (Gerpe) – entre eles o docente da Unifesspa Eudes Leopoldo, que é pós-doutorando em Geografia na FFLCH, e a professora Rita de Cássia Ariza da Cruz, do mesmo Departamento de Sandra.

Esta foi a primeira edição deste prêmio, que foi entregue a outros dois docentes também: Rogério Haesbaert e Saint-Clair Cordeiro da Trindade Júnior, respectivamente, da Universidade Federal Fluminense (UFF) e da Federal do Pará (UFPA). 

A notícia foi divulgada no site da FFLCH e a matéria a seguir.

II Prêmio Rodrigo Simões de Teses de Doutorado (2019)

A Tese de Doutorado “Práxis de Política Urbana no Brasil: Movimentos e Articulações Nacionais e Internacionais na Construção do Direito à Cidade” de Liana Silvia de Viveiros Oliveira, do PPGAU/UFBA foi escolhida pela comissão julgadora a vencedora do II Prêmio Rodrigo Simões de Teses de Doutorado (2019). A comissão também premiou três trabalhos como Menções Honrosas.

Tese Vencedora:

Título: Práxis de Política Urbana no Brasil: Movimentos e Articulações Nacionais e Internacionais na Construção do Direito à Cidade
Autora: Liana Silvia de Viveiros Oliveira
Instituição: PPGAU/UFBA

Menções honrosas:

Título: Reinventando o urbano. Práticas culturais nas periferias e direito à cidade
Autora: Clarice Libânio
Instituição: NPGAU/EA-UFMG

Título: O manejo interinstitucional da “degradação legítima”. A burocratização subordinada da avaliação de impactos ambientais no planejamento territorial coordenado pela política energética brasileira
Autor: Julio Cesar Silva Dias
Instituição: IPPUR/UFRJ

Título: Articulações, sinergias e coalizões entre agentes públicos e privados na reestruturação urbana e imobiliária em Pelotas (RS)
Autora: Natalia Daniela Soares Sá Britto
Instituição: POSGEA/UFRGS

A comissão julgadora foi composta pela Professora Dra. Nelba Azevedo Penna, o Professor Dr. Juliano Pamplona Ximenes Ponte, a Professora Dra. Virgínia Elisabete Etges e a Professora Dra. Virgínia Pitta Pontual, e presidida pelo Professor Tomás Antônio Moreira do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo.

Para ler o Edital em sua íntegra, clique no link.

Associações Científicas assinam manifesto em defesa do Sistema de Ensino de Pós-Graduação e a das Ciências Humanas, Sociais Aplicadas, Letras, Línguas e Artes

A Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional, a Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, a Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Geografia, a Associação Brasileira de Antropologia e a Associação Brasileira de Estudos Populacionais assinaram juntas manifesto de indignação e repúdio às informações inverídicas sobre as Ciências Humanas, Sociais Aplicadas, Linguística, Letras e Arte apresentadas pelo Sr. Abraham Weintraub, na Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado Federal no dia 07 de maio próximo passado e contra o bloqueio de forma generalizada todas as bolsas de mestrado e doutorado e linhas de financiamento oferecidas pela Capes, que estavam temporariamente sem uso, numa clara tentativa de desmantelar o Sistema Brasileiro de Ensino Superior de Pós-Graduação. Essas ações demonstram a sua ignorância da História, disciplina pela qual demonstram desprezo, pois, ações como essas sempre tiveram impactos nefastos no Setor de Ciência e Tecnologia dos países e certamente afetarão sobremaneira o Desenvolvimento Nacional, condenando o Brasil à eterna dependência tecnológica e intelectual do exterior.

Clique no link para acessar o manifesto.

ANPUR divulga o resultado do prêmio de dissertação de mestrado

É com muita satisfação que a Diretoria da ANPUR divulga o resultado do IX Prêmio Brasileiro de Dissertação de Mestrado “Política e Planejamento Urbano e Regional”, conforme Ata do Júri anexa.

Dissertação vencedora: “Territórios negros em Porto Alegre/RS (1800-1970): Geografia histórica da presença negra no espaço urbano”, de autoria de Daniele Machado de Vieira do POSGEA/UFRGS.

Menções honrosas:
  • “Refugiados urbanos – estudo sobre a distribuição territorial de refugiados no Rio de Janeiro e seu impacto no processo de integração local”, de autoria de Natalia da Cunha Cidade do PROURB/UFRJ;
  • “A precificação dos serviços de saneamento de água e esgoto e o objetivo social”, de autoria de Sávio Mourão Henrique do PPG PGT/UFABC;
  • “Mulheres e periferias como fronteiras: o tempo-espaço das moradoras do Conjunto Habitacional José Bonifácio”, de autoria de Carolina Alvim de Oliveira Freitas do PPGAU/FAU/USP.

O Júri foi presidido pelo prof. José Júlio Lima (UFPA) e composto pelos professores Isa de Oliveira Rocha (UFSC), Luiz Renato Bezerra Pequeno (UFC), Rômulo José da Costa Ribeiro (UnB) e Rosana Denaldi (UFABC).

Importante informar que na análise das dissertações finalistas, membros do júri com dissertações de suas respectivas instituições não participaram da avaliação da dissertação em questão

Clique no link para ler a ata em sua versão integral.