52ª Roda de Conversa do Escola em Transe

Veja o comunicado da organização:

“Amigas e amigos,

“A Copa do Mundo é nossa, seu legado e suas sequelas” * é o tema da quinquagésima-segunda Roda de Conversa promovida pela Escola em Transe, a se realizar nesta *sexta-feira, 20 de agosto, de modo virtual, a partir das 16h.
Nelson Rodrigues considerava que a derrota para o Uruguai na final da Copa de 1950, torneio para o qual foi construído o Estádio Mario Filho, o Maracanã, teria sido nossa Hiroshima. O gol de Ghiggia provocou, no maior estádio do mundo e em todo o País, um “silêncio ensurdecedor”, ainda segundo Nelson, há exatos 71 anos, completados nesta segunda-feira, 16 de julho.
Se Nelson Rodrigues tivesse assistido ao 7×1 aplicado pela Alemanha ao time de Neymar e Felipão, não compararia o “Maracanazo” como ficou conhecido o desmonte aplicado pelo Uruguai, à tragédia atômica provocada pelo bombardeio aéreo norte-americano sobre Hiroshima e Nagasaki, cinco anos antes, ao fim da Segunda Guerra Mundial.
Entretanto, para nós brasileiros, é cada vez mais claro e comezinho que as tragédias se repitam e produzam efeitos lesivos, inclusive a outros campos da vida nacional, como as cidades. A Copa do Mundo de 2014, envolvendo diretamente 12 capitais brasileiras, em obras civis, reformas, ampliações e modernização de instalações esportivas e de serviços de transporte, também resultou em legados mínimos, situações de empate social e derrotas fragorosas, se mantivermos a metáfora esportiva para os anunciados benefícios, que adviriam dos vultosos capitais aplicados.
Viu-se o mesmo ou algo parecido, dois anos depois, em 2016, quando novos investimentos e megaprojeto foram programados e parcialmente realizados para as Olimpíadas do Rio. Além de estádios, ginásios e circuitos esportivos, o Rio de Janeiro assistiu a um desfile perdulário de recursos públicos, envolvendo resultados muito aquém do esperado ou mesmo catastróficos, como na analogia rodrigueana.
Para discutir esses resultados e seus impactos sobre as regiões que constituíram cenário para os jogos da Copa do Mundo no Brasil, megaevento global que, assim como os jogos olímpicos, transcende o interesse meramente esportivo, para o campo das finanças internacionais sobre existências locais, convidamos:
Daniel Ortiz – UFABC (Rio de Janeiro);
Bárbara Barbosa – FAP-DF (Brasília);
Doriane Azevedo – UFMT (Cuiabá);
Eduardo Nobre – USP (São Paulo, perspectiva geral).

Curadoria: Rafael Corradi (Mestre UFABC) e Escola em Transe.

Vale lembrar: somos todos convidados para esta 51ª Roda de Conversa: A Copa do Mundo é nossa, seu legado e suas sequelas, na próxima sexta-feira, 20 de agosto, às 16h.
Não perca! Afinal, somos tod@s Protagonistas!
Link de inscrição: https://forms.gle/snYLap9gJE4xptws8