REUNIÃO DE TRABALHO POR VÍDEO CONFERÊNCIA – DIRETORIA – 28/05/2020

Em consideração às manifestações escritas, encaminhadas por colegas da UFRGS e UFMG (e, já durante a reunião, UFBA), a Diretoria da ANPUR (todos presentes), se reuniu às 08:00 do dia 28 de maio de 2020, para discutir a possibilidade de retirada de pauta do item 4 da ASSEMBLEIA VIRTUAL DA ANPUR, que se referia ao aumento da anuidade da ANPUR. As solicitações argumentavam que o referido item da Pauta poderia ser retirado, sem prejuízo, e ser tratado posteriormente ou, como argumentou o grupo da UFMG, na pauta da Assembleia Extraordinária, que será marcada para os próximos meses. A Diretoria discutiu longa e unicamente a matéria.

A ASSEMBLEIA VIRTUAL foi avisada a todos os Programas filiados/associados, no dia 13 de abril, em comunicado (“quarto aviso”) sobre o adiamento do X SEPEPUR / IV ERCIPUR; toda a PAUTA foi encaminhada, em convocação, no dia 30 de abril, ou seja, aproximadamente, quatro semanas antes da realização da Assembleia; na convocação, já constava o texto da Pauta 4; a página foi colocada no ar no mesmo dia já com o texto da Pauta 4, embora os demais itens de pauta, com LINKs, tenham sido adicionados aos poucos até o dia 17 de maio; o texto da Pauta 4 é o único item de pauta em que as informações estão destacadas e visíveis na própria página, e não como conteúdo de um LINK; foram enviados vários emails para as/os coordenadoras/es e suas secretarias sobre a INSCRIÇÃO de representantes. Em suma, não procede a alegação de que os programas e seus representantes foram surpreendidos com a matéria. E quase todos devem ter assim compreendido porque nunca se manifestaram dessa forma.

A Diretoria da ANPUR repassou todas as informações para as/os coordenadoras/es e secretárias/os dos Programas. A socialização das informações para os professores de cada Programa é de responsabilidade de suas respectivas coordenações/secretarias. Se as informações foram repassadas para os docentes dos programas e esses não se interessaram ou, por outro motivo justificável (muitos de nós estamos assoberbados de trabalho e/ou aturdidos com esta epidemia), não observaram estas informações, isto está fora do controle da Diretoria da ANPUR. Alguns – não muitos – colegas designados por seus programas como representantes na Assembleia pouco sabiam sobre a matéria: alguns escreveram para o email da presidência da ANPUR e nem sabiam que teriam de realizar a inscrição como representante; outros não sabiam da existência da página e não tinham qualquer informação acerca da Assembleia. À Diretoria da ANPUR cabia informar aos Programas sobre o modelo, procedimentos, pauta e calendário da Assembleia.

Somos solidários a todas/os neste momento ímpar de nossa existência. Todas/os continuam com suas atividades administrativas, de pesquisa, de ensino remoto etc. Mas nada disso justifica a sugestão de que a Diretoria da ANPUR não permitiu um espaço de discussão. O espaço estava lá, mesmo antes da Assembleia ter início, porque se algum dos 62 programas não concordava com o formato/conteúdo da Assembleia poderia ter se manifestado bem antes ou, no caso dos representantes, dentro do prazo estabelecido para as CONSULTAS. Também não é justificativa a alegação de que, por conta da pandemia, não foi possível realizar reuniões colegiadas para escolha de representantes nos programas, quando a mesma justificativa é também utilizada para cobrar da Diretoria da ANPUR a realização de reunião ONLINE para discussão da matéria. Estamos todos no mesmo barco. Foi por conta da própria PANDEMIA que a Assembleia foi pensada para ser VIRTUAL, porém, na época, remota. E todas as informações, que poderiam a todo tempo ser questionadas e discutidas, não o foram nem antes nem no tempo estipulado para CONSULTAS, chegando as referidas solicitações já durante o regime de votação.

Acontece também que estamos convivendo com o contexto da pandemia no Brasil há pouco mais de 2 meses e todos estes desencontros são compreensíveis. O modelo para a realização da Assembleia foi pensado desde que, no dia 17 de março de 2020, adiamos/cancelamos a realização do X SEPEPUR / IV ERCIPUR / ASSEMBLEIA DA ANPUR, o que foi imediatamente comunicado aos Programas (“terceiro aviso”). Este Seminário estava pronto para ser realizado, com todas as providências tomadas, como amplo programa, compra de passagens, reservas de hotel, auditório, equipamentos etc. A Assembleia aconteceria, em Pipa, no dia 29 de maio, presencialmente, como todas as outras antes dela.

Assim, quando o modelo da ASSEMBLEIA VIRTUAL foi pensado, as plataformas virtuais online condizentes com um encontro de cerca de 100 pessoas não eram disseminadas e estavam disponíveis apenas em versões pagas. Mas tudo isso mudou rapidamente nas últimas semanas. Mesmo hoje estando disponíveis de forma generalizada, também foi discutida na reunião as desvantagens de utilização de tais plataformas. Nossas próprias reuniões por SKYPE (todos também já estivemos em outras com outros aplicativos), com apenas sete pessoas, sempre apresentam problemas de acesso, som, vídeo, quedas de rede etc. No momento, quase todas as universidades do país estão paradas e um dos pontos em discussão é a utilização dessas plataformas para aulas, como também as suas deficiências e problemas operacionais recorrentes. A discussão é a mesma, por exemplo, da do adiamento do ENEM. Então, a realização de reunião virtual remota e síncrona para discussão da matéria da Pauta 4 pode ser feita no futuro próximo, mas isso não significa que necessariamente o acesso será o mesmo para todas/os ou que ocorrerá como uma reunião presencial.

Após todas as considerações de prós e contras, o ADIAMENTO da Pauta 4 foi definido. A principal razão para tal – além de tal adiamento ter sido solicitado por (e o adiamento é então e também em consideração a) colegas há muito engajadas/os à ANPUR nos programas das três instituições referidas, incluindo dois de seus ex-presidentes, um ex-diretor, um membro do conselho fiscal e um membro suplente do conselho fiscal – é a ideia de que a ASSEMBLEIA VIRTUAL foi pensada (mesmo porque havia justificativa, com a pandemia, para o seu adiamento) para manter a comunidade da ANPUR mobilizada e atenta.

A discussão do aumento é importante para o futuro da instituição. A discussão é sobre a forma de financiamento da Associação, a ideia de que uma associação deve ser mantida por seus associados, no caso da ANPUR, os seus programas, e não por agências de fomento ou mesmo o público usuário de seu principal evento. O aumento da anuidade não afeta a atual Diretoria e, possivelmente, não afetará a próxima, pois há saldo na conta. Mas a ANPUR tem historicamente o que consideramos uma frágil estrutura de financiamento baseada nas “sobras” dos ENANPURs. Não há garantias de que teremos estas sobras no futuro próximo, devido ao arrocho fiscal na área da educação do atual governo que limita a concessão de custeio de eventos pelas agências de fomento (CNPq, CAPES, FAPs, IPEA etc.). Também não é justo majorar as inscrições do ENANPUR e pensar que quem financia em parte a Associação são os alunos de pós-graduação e docentes. Isso é igualmente injusto.

A atual Diretoria não criou qualquer gasto novo e todos os gastos que já existiam são absolutamente necessários. A discussão, se não houver concordância sobre o aumento, é então sobre o que a ANPUR deixará de custear no futuro, diminuindo o seu raio de ação. A pandemia fez com que todos os grandes eventos fossem adiados para 2021. É provável que muitos os que aconteceriam em 2021, principalmente os do primeiro semestre, inclusive o ENANPUR, sejam adiados para 2022, tanto por conta da insegurança acerca da circulação da doença, quanto por conta da congestão de eventos em 2021. Se isso acontecer, não haverá nem a possibilidade de haver “sobras” para complementar o pagamento de despesas da Associação.

Por fim, ficou também decidido que a matéria será tratada em Assembleia Extraordinária, a ser realizada nos próximos meses, segundo modelo a ser discutido e proposto pela Diretoria e apresentado aos Programas filiados/associados.