PPEUR-UFRN LANÇA EDITAL DE SELEÇÃO PARA O MESTRADO EM ESTUDOS URBANOS E REGIONAIS PARA 2018

A Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Estudos Urbanos e Regionais (PPEUR) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) torna público o Edital, que estabelece o processo seletivo para ingresso no Curso de Mestrado para o ano letivo de 2018. Para maiores informações, favor acessar o site do Departamento de Políticas Públicas da UFRN.

Clique aqui para ver o Edital na íntegra.

 

Carta de apoio da Diretoria da ANPUR à UERJ, seus professores, alunos e funcionários

A Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional (ANPUR), por meio da sua Diretoria, vem se solidarizar com os professores, os alunos e os funcionários da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). A crise da UERJ é um golpe duro na democracia brasileira, promovendo a destruição de décadas de trabalho e dedicação ao ensino, à pesquisa e à extensão. A sociedade brasileira, em particular a fluminense e a carioca, são as principais prejudicadas. Esta carta tem o propósito de apoiar a luta dos colegas e trabalhadores da UERJ e também conscientizar toda a comunidade acadêmica sobre o que está em jogo na universidade pública brasileira no momento em que se promove o desmonte daquela universidade.

O caso UERJ não é isolado. Avançam as medidas de corte de gastos que podem culminar na extinção da universidade, logo depois desta ter vivido um importante processo de expansão.

O estado do Rio de Janeiro foi, até recentemente, um importante laboratório de inclusão social por meio da ampliação do acesso ao ensino, à pesquisa e à extensão em universidades públicas e de qualidade. Isso atraiu novos atores às disputas políticas, pois muitos deles lidavam diretamente com as demandas da população na ausência de políticas públicas continuadas. No que tange especialmente à UERJ, esta foi pioneira na implantação do sistema de cotas raciais (Lei nº 3524/2000), num momento em que apenas 4% da população brasileira (dados de 1997), constituída de pardos e negros, tinham acesso à universidade. Esse pioneirismo foi de encontro aos interesses das elites, que temem perder o controle das instituições de ensino. Reconcentrar os recursos públicos nas áreas privilegiadas é uma forma de abortar esse projeto de inclusão e reforçar novamente o processo de discriminação.

O que está em jogo no caso da UERJ, portanto, é um projeto de universidade pública voltado à inclusão social, um projeto que passou a criar acesso ao ensino superior e a gerar benefícios concretos, por meio da formação intelectual, profissional e crítica, para camadas sociais da população brasileira historicamente alijadas do acesso ao conhecimento científico. Tal projeto também permitiu o acesso a uma universidade identificada com as demandas das populações menos assistidas pelo Estado. É este projeto que está sendo atacado e com ele todos os demais projetos acadêmicos e de inclusão, programas e planos de uma universidade voltada para o cidadão e para a produção científica de excelência no Brasil.

A extinção da UERJ seria mais um duro golpe na democracia brasileira.

Por estes motivos, a Diretoria da ANPUR presta apoio e solidariedade aos professores, alunos e funcionários da UERJ nesse momento difícil para a universidade brasileira.

Para acessar a carta original click no link